terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Capítulo 04 - Natal

Eu andava muito chateada com papai, afinal me fazer pagar aquele mico na frente do Anderson não foi nada legal. Mas era Natal, tempo de perdão. Então tivemos um longo papo e ele me prometeu nunca mais chamar a minha atenção na frente dos amigos; eu, em contrapartida, prometi nunca mais me atrasar para a escola.



E por falar em Natal, esse era o dia do ano que eu mais gostava. 
Vó Mariana, logo pela manhã, começava os preparativos para a ceia. 
- Tire as mãozinhas dessa rabanada, Meg! Elas são para a ceia - poxa, porque temos que esperar a noite para comer? - Você também, filhão! Saiam os dois daqui, me deixem trabalhar em paz! - era difícil resistir a tantas delícias.





Papi não ousou desobedecer e foi para o quarto trabalhar em um de seus casos. Papai era um agente secreto. 




Eu queria tanto ajudar a vovó, mas como ela me dispensou, fui brincar. Do sótão era possível sentir o aroma irresistível que vinha da cozinha. Ah! Eu amo o Natal, amo esse cheirinho!




Além de preparar a ceia, vovó também se preocupou em deixar a casa arrumadinha. Ela era o meu anjo!




Aquele seria nosso primeiro natal na casa da Vóvis e tudo estava perfeito. Ela caprichou nos pratos, havia comida para todos os paladares. Sob a árvore de natal, alguns presentes, aqueles pacotes aguçavam a minha curiosidade. Qual deles seria o meu?




Enquanto eu aguardava a hora da ceia, fui jogar no computador do papai.
- Querida, hoje é natal, não quero vê-la em frente a essa telinha - disse vovó - venha se juntar a nós na sala. Essa é a noite da união entre as famílias.
Sim, como sempre, vovó estava certa. A família é o que temos de mais precioso.




Então, começou a "comilança". Tudo estava delicioso!



Enquanto ceávamos, papi contava antigas histórias de natal e vovó recordava de natais em que o papai era pequeno....eu já havia escutado todas àquelas histórias, mas sempre me divertia muito com elas. Rimos e conversamos muito, sem pressa e sem pudores!




Depois dançamos. Vovó era a mais animada!




Hora de abrir os presente, a minha hora preferida. Eu já não aguentava mais esperar.
- Oba! Vamos abrir logo esses presentes, qual deles é o meu? - indaguei aflita - Aposto que é o maior hehe 
- Sim, é o maior - disse papai - É tão grande que não coube embaixo da árvore, seu presente está lá fora, no quintal. 




Corremos todos para o quintal, eu na frente, claro!
-UAU!!!! A casa de bonecas que eu tanto queria!Eba, eba, eba!!!!




- Papai noel nunca te decepcionou, não é filha?
- Papai noel sabe que eu sou um anjo de menininha, isso sim, não é Papi? Eu mereço hahaha!




...se eu ainda acredito em papai noel? Claro que sim!  




FELIZ NATAL !!!!!





8 comentários:

  1. Tem que perdoar o papi mesmo. Boa garota!
    Se eu fosse tu, teria roubado um "beliscadinho" da rabanada e saído correndo, HAHAHAHAHA
    Que linda sua casa de bonecas! =D

    Feliz Natal pra ti, querida! E um próspero ano novo também!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. hummm....rabanada é bom demais! E comidinha de vó sempre teve um gostinho especial. Minha avó portuguesa era um espetáculo na cozinha, já minha vó mineira, não me lembro. Eu era muito pequena quando ela se foi, mas me lembro dela sentada em um banquinho no quintal, descascando laranjas para mim. *__*
      Feliz natal David!
      Desejo que 2015 seja um ano muito próspero para você, que seus projetos se realizem!
      beijos!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Obrigada Nihal, feliz natal para você! =)

      Excluir
  3. Tava nem sabendo dessa história...Tou pensando em voltar a escrever nesse ano de 2015.
    Meg, saudades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Cris, volte sim!
      Beijos, um ótimo 2015 para você! =)

      Excluir